Limite develocidade muda em vias da Capital

A sinalização vertical e horizontal informa: Fortaleza tem seu primeiro redutor de velocidade de 60 para 40 Km implantado em trechos das avenidas Engenheiro Santana Júnior e Antônio Sales. A novidade já começou a valer e o condutor de carro ou motociclista que passar pelas áreas tem que redobrar a atenção, pois um equipamento de fiscalização eletrônica, instalado no canteiro central da Santana Jr., registrará quem desobedecer a determinação.


Conforme o superintendente da Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC), Arcelino Lima, outro equipamento, o chamado display, que indica a velocidade do veículo, também começará a funcionar no trecho. "Estamos dependendo da Coelce, mas deve funcionar em dez dias", avalia ele. O objetivo, salienta, é de aumentar a segurança viária e garantir uma travessia segura aos pedestres nas imediações dos viadutos no Cocó. Arcelino reafirma que, enquanto não houver outra solução para proteger principalmente pedestres e ciclistas, a determinação continuará valendo. "Na Antônio Sales, ainda tem a passarela, mas na Santana Júnior nem isso tem", explica. Segundo ele, a sinalização tanto vertical quanto horizontal foram reforçadas exatamente para não deixar dúvidas. "Ali, volto a insistir, buscamos melhorar a segurança dos pedestres e ciclistas, além de reduzir o índice de acidentes e atropelamentos na área", acrescentou o gestor municipal.


De acordo com a AMC, até maio deste ano, a fiscalização eletrônica registrou 288,8 mil multas. Mais de 6% a mais que igual período do ano passado. Ainda segundo o órgão, ultrapassar até 20% da velocidade média da via é a infração mais cometidas em Fortaleza. Arcelino adianta que a Autarquia também estuda a implantação do redutor de velocidade em outros pontos da Capital. Um deles, assinala, será em Messejana. "Por enquanto, estamos avaliando os locais, mas sem dúvida, estaremos implantando­os em mais pontos", esclarece.


De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), o valor da multa para quem ultrapassa a velocidade permitida para a via varia de R$ 85,13 a R$ 574,62. Segundo o Artigo 218 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), transitar em velocidade superior à máxima permitida para o local, medida por instrumento ou equipamento hábil, em rodovias, vias de trânsito rápido, vias arteriais e demais vias, constitui­se como infração média (quando a velocidade for superior à máxima em até 20%); infração grave (quando a velocidade for superior à máxima em até 20% e até 50%) e infração gravíssima (quando a velocidade for superior à máxima em mais de 50%). Solução O psicólogo, especialista em trânsito, Pedro Almeida Júnior, aponta que essa é uma solução inteligente, pois obriga os condutores a dirigirem com mais atenção.


Segundo ele, um dos principais causadores de mortes e vítimas que ficam o resto da vida com sequelas devido aos acidentes é a velocidade excessiva. Entre os acidentes de trânsito, aponta, os causados pelo excesso de velocidade constituem um grupo especial por duas razões: primeiro por serem os mais numerosos; segundo, por terem grande energia cinética, a "energia do movimento", que se transforma em amassamentos nos veículos e lesões nos seres humanos. "A utilização de veículos em velocidades incompatíveis com as normas de segurança tem sido apontada, em todas as pesquisas, como a principal causa dos acidentes e da virulência do trânsito", acrescenta.


Por outro lado, ele frisa que é preciso estudo mais aprofundado por parte da AMC para que isso não vire uma "febre". "Outras questões precisam ser levantadas, fora o problema da segurança, já que a redução da velocidade aumenta os riscos de assaltos para os motoristas e o aumento da poluição do ar". O que diz a lei Artigo 61 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB) A velocidade máxima permitida para a via será indicada por meio de sinalização, obedecidas suas características técnicas e as condições de trânsito. § 1º Onde não existir sinalização regulamentadora, a velocidade máxima será de: I ­ nas vias urbanas: A) 80 quilômetros por hora, nas vias de trânsito rápido; b) 60 quilômetros por hora, nas vias arteriais; c) 40 quilômetros por hora, nas vias coletoras; d) 30 quilômetros por hora, nas vias locais; § 2º O órgão ou entidade de trânsito ou rodoviário com circunscrição sobre a via poderá regulamentar, por meio de sinalização, velocidades superiores ou inferiores àquelas estabelecidas no parágrafo anterior.

http://diariodonordeste.verdesmares.com.br/
Share on Google Plus

About Correio Gospel

0 comentários:

Postar um comentário