Capitão Wagner acusa Casa Militar de "retaliar" contra militares críticos


O deputado Capitão Wagner (PR) denunciou nesta quarta-feira, 26, “perseguição” e “retaliação” de membros da Casa Militar do Ceará contra agentes de segurança do Estado. Segundo Wagner, o órgão teria interferido no afastamento dos majores Plauto de Lima (Polícia Militar) e Luiz Onofre (Corpo de Bombeiros) após reivindicações ao governo do Estado.

Na última semana, Plauto foi exonerado de cargo que ocupava junto à Assessoria Militar do Tribunal de Justiça do Estado (TJ-CE). “Coincidência ou não, recentemente o major Plauto cobrou publicamente do governador Camilo Santana algumas posturas em relação às promessas de campanha para a segurança”. 

Já Luiz Onofre foi exonerado de cargo no Conselho Estadual do Idoso. A saída ocorreu após o major cobrar reformas de um centro de atendimento ao idoso. Capitão Wagner, no entanto, destaca que “perseguição” seria ato isolado de assessores da Casa Militar, sem ter relação com o governador Camilo Santana (PT) ou com o comando da Segurança Pública.

“Não entendo isso. Pois se o próprio governador tem se mostrado aberto, se o secretário de Segurança tem sido aberto à crítica, por que será que alguns assessores da Casa Militar, que nada tem a ver com a política de segurança, querem interferir nisso? Isso me lembra mais atitude do governo antigo”, diz.
Diálogo


Vice-líder do governo, Júlio César Filho (PTN) repudiou qualquer ato de perseguição que possa estar acontecendo no Governo e comentou situação de Plauto de Lima. “O major Plauto continua fazendo parte da Corporação. Como ele exercia um cargo comissionado no TJCE, que é de confiança, ele poderia deixar esse cargo a pedido do Tribunal, pois a presidência tem o poder e o peso de escolher ou afastar os oficiais”, afirma.
O POVO Online procurou a assessoria da Casa Civil do Ceará para comentar o caso, mas ainda não obteve resposta.
Share on Google Plus

About correio gospel

0 comentários:

Postar um comentário