Piquet não esquece rivalidade e alfineta Senna: 'Sempre foi um piloto sujo'



Nos tempos áureos de suas carreiras, Nelson Piquet e Ayrton Senna protagonizaram grandes disputas nas pistas de corridas da Fórmula 1. Além disso, fora do trabalho, o relacionamento dos dois brasileiros nunca foi dos melhores. Vinte e um anos depois da morte de Senna, Nelson não esquece a antiga rivalidade e não muda seu estilo de falar o que pensa. Em entrevista ao UOL Esporte, o ex-piloto criticou o estilo de guiar do compatriota.

- Ele sempre foi muito sujo na sua carreira. Ganhou o campeonato de F-3 porque ele bateu no Martin Brundle, em Brands Hatch, na última corrida, acabou com o carro em cima (o acidente a que Piquet se refere aconteceu em Oulton Park, na Inglaterra, na 17ª etapa das vinte realizadas). Fez o mesmo com Prost em 90 para ganhar o campeonato. Eu não concordo com isso. No automobilismo, você precisa ser limpo. Quer ser campeão? Tudo bem. Mas precisa ser limpo. Ele não era limpo na pista. Foi por isso que mostrei o dedo do meio para ele - afirmou Piquet, de 62 anos.

Assim como Senna, Piquet também é tricampeão mundial de Fórmula. As declarações dele foram dadas na Hungria, no circuito de Hungaroring, no último fim de semana, quando a F1 realizou a 10ª etapa da atual temporada. Com sua costumeira ironia, Piquet relembrou uma ultrapassagem dele sobre Senna no circuito húngaro no ano de 1986.

- Senna era um piloto horrível, era fácil ultrapassá-lo - disse Piquet, relembrando ainda o episódio em que ele fez um gesto obsceno para Senna nesta manobra:

- Você viu toda a ultrapassagem? Você viu as duas voltas anteriores? Olhando com calma, na primeira vez eu tento por dentro, e ele me empurra para o lado sujo da pista. E na segunda vez ele tenta fazer o mesmo. Mas ao invés de ir para a direita, eu coloco de lado pela esquerda e ele não esperava isso.
Share on Google Plus

About Correio Gospel

0 comentários:

Postar um comentário