Filme mostra igreja pelos olhos de um incrédulo

Os chamados “filmes de fé” eram um gênero menosprezado em Hollywood por serem vistos como panfletários. As produções de baixo orçamento atraiam pouco o grande público, acostumado com os efeitos de última geração e grandes nomes do cinema nos papéis principais.

Isso começou a mudar em 2004, com o sucesso de “A Paixão de Cristo”, a superprodução dirigida por Mel Gibson, que arrecadou centenas de milhões de dólares nas bilheterias. Na última década, longas independentes como os da trilogia “Deus Não Está Morto” atraiam o mesmo tipo de espectador que assistia “O Céu é de Verdade”, realizado por um grande estúdio.

O longa “Small Group” [Pequeno Grupo], lançado este mês nos Estados Unidos, tenta inaugurar um novo estilo, visando ser um “filme de fé para incrédulos”. Mesclando a dinâmica de documentário com pitadas de comédia, conta a história de um repórter que tenta “expor” a hipocrisia dos cristãos.

O personagem principal R. Scott Cooper (Sterling Hurst, da série Nashville) é um repórter investigativo descrente que se “infiltra” em uma igreja evangélica no sul dos Estados Unidos, com o objetivo de produzir um documentário sobre os “males” da influência evangélica. Acaba participando de um pequeno grupo, ou célula. Ele filma tudo secretamente, incluindo um retiro de homens e uma viagem missionária de curto prazo para a Guatemala.

Quando seu projeto é descoberto, ele precisa lidar com a reação dos membros da igreja e acaba revendo seus conceitos sobre fé e a vida eclesiástica comunitária. Em diferentes cenas ele demonstra a visão preconceituosa que muitos têm e acaba confrontado com a realidade que os evangélicos são pessoas “normais”.
Experiência real

Matt Chastain, que dirige a produção, achou que seria interessante mostrar um pouco da “cultura da igreja” através dos olhos de um cético. Ele decidiu escrever o roteiro a partir de sua própria experiência em um pequeno grupo na igreja batista que sua família frequenta.

“Tudo que vivi nele foi muito mais real, genuíno e interativo do que outras experiências da igreja que tive. Em certo momento eu percebi que essa é uma história que precisa ser contada! Alguém deveria fazer um filme chamado ‘Pequeno Grupo’!”, contou ele ao Christian Post.

O diretor explica que, a exemplo de muitos outros filmes de fé, igrejas inteiras lotaram sala de cinema para ver a sua produção. “Conversamos com o público e vimos que as pessoas saem da exibição dizendo que riram e choraram e seu pequeno grupo teria novo ânimo… Queremos mostrar que pessoas com perspectivas bem diferentes da vida podem aprender muito umas com as outras, demonstrar a graça mutuamente… O mundo precisa desesperadamente de mais disso, na minha opinião”, comemora.

Ainda não há previsão de lançamento no Brasil
Share on Google Plus

About correio gospel

0 comentários:

Postar um comentário