Número de desaparecidos cai para 299 após rompimento de barragem em Brumadinho, Grande BH; 46 pessoas foram achadas com vida


Moradores do Parque da Cachoeira, em Brumadinho (MG) observam passagem de helicóptero.

RESUMO

  • Uma barragem da mineradora Vale se rompeu ontem em Brumadinho (MG), e um mar de lama destruiu casas da região.
  • Rejeitos atingiram a área administrativa da companhia e parte da comunidade da Vila Ferteco.
  • Até o momento, há confirmação de 11 mortos. A primeira pessoa morta identificada é Marcele Porto Cangussu.
  • Há ainda 299 desaparecidos, segundo os bombeiros. Os trabalhos de resgates devem durar semanas.
  • Governo federal montou gabinete de crise; Bolsonaro sobrevoou a área na manhã deste sábado.

ACOMPANHE

O presidente Jair Bolsonaro afirmou que o Brasil aceitou ajuda oferecida pelo primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, para buscar desaparecidos na tragédia causada pelo rompimento da barragem em Brumadinho (MG)
O Ministério Público de Minas Gerais informou que a Justiça mineira determinou o bloqueio de R$ 5 bilhões da mineradora Vale. A medida, segundo o órgão, é para garantir a adoção de medidas emergenciais em defesa do meio ambiente. A Justiça já havia determinado bloqueio de R$ 1 bilhão, após pedido da Advocacia-Geral do Estado.
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
Moradores do Parque da Cachoeira, em Brumadinho (MG) observam passagem de helicóptero. (Foto: Mauro Pimentel/AFP)
O presidente Jair Bolsonaro divulgou uma nota sobre a tragédia: "Estive, nesta manhã, na região de Brumadinho, em Minas Gerais, atingida tragicamente pelo rompimento da barragem da Vale S.A. Sobrevoei a área, verifiquei a extensão dos danos e confesso minha tristeza, principalmente pela perda lamentável de vidas humanas. Acompanhei, juntamente com o Governador Romeu Zema, a avaliação das equipes dos órgãos governamentais e determinei que o Governo Federal proporcione total suporte à população vitimada por esse desastre. Disponibilizaremos recursos humanos, financeiros e tecnológicos para apoiar o Estado de Minas Gerais. Paralelamente, adotaremos todas as medidas necessárias para que tragédias como essa não se repitam e não fiquem impunes. Foi oferecido e aceitamos, por parte do 1º Ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, ajuda na busca de desaparecidos."
O número de mortes confirmadas subiu para 11, segundo o Corpo de Bombeiros.
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, sobrevoou a região atingida pelo rompimento da barragem e participou da reunião do gabinete de crise coordenada pelo presidente Jair Bolsonaro no aeroporto de Confins.
Técnicos do Ministério de Minas e Energia estão verificando toda a documentação apresentada pela Vale para tentar identificar as causas do rompimento. "O momento não é de questionar nenhum laudo", disse Beto Albuquerque, ministro de Minas e Energia. "As informações que nós temos tanto dos órgãos reguladores e também dos órgãos de fiscalização é de que toda documentação estava regular. E o que nós estamos fazendo desde ontem além de contribuir com o esforço das autoridades estadual e municipal é coletar todas as informações junto à companhia, a Vale. Ontem a noite todas as documentações referentes às licenças se encontram com nossos técnicos e agentes da agência nacional de mineração e agora vamos iniciar uma averiguação para saber o que levou a esse desastre."
A Polícia Federal (PF) informou neste sábado (26) que abriu um inquérito para apurar crime ambiental e contra a vida após rompimento da barragem da Vale, em Brumadinho.
Share on Google Plus

About Correio Gospel

0 comentários:

Postar um comentário